FANDOM


IMG 20180917 223208


A coisa verdadeiramente aterrorizante é o inferno em que caem fantasmas que não dormem e não podem vencer, e que ainda não podem morrer.
Zepar e Furfur

Zep a12 def1

Fur a12 def1

Características Pessoais

Nomes:Zepar e Furfur

Títulos: Demônios do amor

Idade: além dos conceitos de tempo

Sexo: um é homem e outra é mulher, mas não se sabe qual

Espécie: Demônios

Classificação: Demônios, dois dos 72 Grandes Demônios do Inferno, Meta-seres

Obra: Umineko no Naku Koro ni

Descrição: Zepar e Furfur são duas dos 72 Grandes Demônios do Inferno, respectivamente os demônios do amor que aparecem em Dawn of the Golden Witch, seus papéis variam algumas vezes podendo ser contratantes, mestres de cerimônia de casamento ou apresentadoras.

Sobre

Zepar e Furfur são irmãos gêmeos e demônios do amor, os dois são de gêneros diferentes, embora o jogo nunca revele explicitamente qual é qual. A dupla aparece junto quando convocada por aqueles que buscam romance, e tem o poder de seduzir os humanos. Zepar também pode conceder poder defensivo ilimitado e até breve imortalidade a quem os contrata. Zepar assim como Furfur é muito dramática e super zelosa em cada movimento feito, falando com o ar de um ator no palco. Em contraste, Furfur é a contraparte de Zepar e nunca é vista chateada ou chorando. Ao contrário do Furfur, Zepar parece ter uma atitude ligeiramente mais masculina fora sua voz ser muito mais grossa para uma mulher.

Mentalidade

Personalidade: Ambas tem sua visão apenas virado pro amor, não se importam se o que fazem ou quem apoiam é para bem ou para mau desde que seja pelo amor, e estão dispostas a fazer as pessoas se matarem pra provar seu amor, e em troca elas concedem desejos, estão sempre alegres e felizes e geralmente quando começam a falar se ouve assovio e aplausos no fundo mesmo que não tenha ninguém ao redor (o que deixam as pessoas confusas).

Moral: Neutro Caótico

Objetivos: qualquer coisa pelo bem do amor

Gostos: amor

Inteligência: padrão

Ficha de Combate

Dimensionalidade: de ∞D a Inaplicável (Rokkenjima é o mundo das funções de ondas que existe fora da ciência, localizada entre o mundo científico e o mundo mágico onde teorias científicas e teorias mágicas existem simultaneamemte de uma forma infinitamente variável e todos os possíveis estados existem ao mesmo tempo, as duas demônios são seres do Meta-mundo residindo na "Sala de Chá" onde todo esse mundo é apenas um tabuleiro, existindo além dos conceitos de tempo e espaço onde as duas brincam com o tabuleiro | Inaplicável (Durante o Réquiem da Bruxa dourada elas eram personagens do tabuleiro de Bernkastel onde todo o território de umineko cabe em um fragmento que Willard carrega no bolso.

Ataque: de Infinito (É dito que Furfur pode conceder um poder infinito e com ele George Ushiromiya foi capaz de derrotar uma bruxa do infinito) à Infinito (Capaz de alterar a estrutura da Golden Land com simples palavras) | Infinito (muito mais poderosas que antes).

Defesa: de Infinito (escalado com outros demônios e serem inferiores a elas) | Infinito (muito superior antes)

Velocidade: Ilimitada (Meta-seres transcede os conceitos de velocidade) | Ilimitado

Força: Ilimitado (escalado com peça Ronove)

Vigor: Ilimitado (Furfur também concede um vigor inexaustivel)

Alcance: Infinito

Fraquezas Físicas: Nenhuma conhecida

Fraquezas Psicológicas: Nenhuma conhecida

Variações: Jogo de Battler (Meta-mundo/Tabuleiro de Battler/Golden Land) | Tabuleiro de Bernkastel

Poderes

Características Físicas Sobre-Humanas, Manipulação da Morte, Manipulação da Vida, Manipulação Material, Golpe Fatal, Manipulação da Causalidade, Manipulação da Alma, Manipulação da Mente, Manipulação da Nulidade, Toon Force (baixa escala e não ofensiva), Manipulação Climática, Imortalidade (3,5,6,7,11), Regeneração (rank A), Manipulação Conceitual, Manipulação Corporal, Manipulação da Realidade, Controle Empático, Destruição (conceitual), Resistência (empática, material, alma, mental, conceitual, nulidade, temporal, Causal), Atemporalidade, Intangibilidade, Manipulação da Gravidade, Manipulação Orgânica, Manipulação de Energia, Magia, Magia Demoníaca, Manipulação de Estrelas, Manipulação do espaço-tempo, Invocação (podem invocar ambas as Beatrices}.

Parafernália

  • Pistolas de Duelo: Um par de pistolas antigas com o poder de matar em um único tiro, independente do lugar que acertar, podendo também negar o o conceito de existência do alvo bem como imortalidade, ressuscitamento e regeneração, mesmo seres imortais capazes de se regenerar do Nada em si não pode resistir a essa bala e nem voltar a viver sem ajuda externa de alto nível, e apesar de seu formato antigo ela não se limita a uma única bala.
Pistolsduel

Técnicas Especiais

IMG 20180917 223222
  • Verdades: As verdades são movimentos usados ​​em debates entre humanos e bruxas, elas são argumentos que geralmente tomam a forma de poderosas armas conceituais que danificam o conceito de seu alvo. Por ser um movimento conceitual, as verdades não podem ser evitadas, mas podem ser combatidas com outras verdades.
    • Verdade Azul: É usada como uma teoria que funciona como contra-argumento para a afirmação do oponente. Ela geralmente toma a forma de uma estaca que empala o oponente; O oponente não pode remover a estaca sem contrariar o argumento da Verdade Azul usando a Verdade Vermelha. A Verdade Azul deve respeitar a Verdade Vermelha. Embora uma única Verdade Azul não seja letal, abusar dela acabará por negar o conceito do oponente, matando-o, também é possível alterar eventos que já aconteceram ou que vão acontecer com essa verdade.
    • Verdade Vermelha: Qualquer coisa dita em vermelho é uma verdade inegável, absoluta, que não pode ser negada, e não precisa ser apoiada por prova, embora seja impossível mentir usando a Verdade Vermelha. No entanto, uma Verdade Vermelha pode ser interpretada de muitas maneiras diferentes, é também capaz de apagar a existência em nível conceitual.

Notas

  1. Algumas habilidades é com base em Hotarubi no Tomoro Koro ni.
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.