FANDOM



"Vocês invocam meu nome e meu poder, e ainda assim, os desperdiçam em fantasias inúteis. Vocês esqueceram da deusa tripla a quem servem. Esse mundo da magia falhou comigo. Eu irei queimá-lo e criar algo novo em seu lugar."

Resumo

"No inicio... havia a magia. Ela era pura, uma luz rica, florescente de possibilidades envolvendo o Multiverso ainda em formação. Eras mais tarde, chamariam o domínio de Esfera dos Deuses, mas essa história começa muito antes dos deuses. Ela começa quando a vida era nova e os primeiros seres sonhavam com o impossível, quando, daquela incrível luz, o primeiro ser mágico se moldou a partir do cosmos para existir em um reino de absoluta possibilidade e deleite, onde qualquer pensamento podia ser tornado real.

Não demorou muito para que a DONZELA percebesse que ela não estava sozinha na escuridão, abaixo da Esfera dos Deuses havia Outro Lugar... mais escuro, ligado à outro Multiverso, um mais sombrio. Enquanto ela era formada de luz, ele era formado de trevas, Invertido, olhando pra ela. Assustada, ela criou uma barreira em seus pés para se esconder dele, ela não queria seu belo reino de possibilidades maculado pelo horror. Para apagar a criatura horrorosa da mente ela começou a visitar a Terra, o centro do seu novo Multiverso, e começou a observar a humanidade crescer. Ela daria a eles toques de sua magia, para deleitá-los e surpreendê-los com as possibilidades do mundo ao seu redor. Eles lhe deram um nome que significava 'de longe' em sua linguagem primitiva, já que acreditavam que ela vivia na lua acima deles. Eles a chamaram de Hecate. Enquanto a humanidade crescia, sua crença crescia em conjunto enrijecendo em formas mais estritas. O reino ao redor dela começou a estilhaçar em novas formas, grandes casas para panteões de incríveis deuses. Todos os panteões tentavam ganhar seus favores, todos acreditavam em seus próprios mitos de Criação, achavam que ela era subordinada às suas histórias. Ela permitiu que acreditassem nisso, porque isso a divertia.

Muitas ofertas foram feitas pelos panteões para persuadir Hecate e incorporá-la em seus sistemas de crença. Finalmente, ela concordou em aceitar a mão do deus grego do submundo, Hades. Os deuses do Olimpo saudaram-na como uma dos seus, até mesmo o poderoso Zeus reconheceu que o poder dela excedia o seu, mas eles esperavam que ela moldasse sua divindade ao modo deles. Ela seria Hecate, a deusa da magia. Seus adoradores deixavam mel nas encruzilhadas sob a luz prateada das lua, e ela viria até eles e atenderia todas as suas preces. E assim foi durante uma era do homem.

Mas, na generosidade dela a humanidade percebeu o imenso poder que ela controlava, poder além dos deuses que eles adoravam. Eles queriam o dom da magia eles mesmos para controlá-lo em todo seu poder ilimitado. Imitando os encantamentos que tinham testemunhado das visitas dela às encruzilhadas, eles a conjuraram e a aprisionaram á um círculo, uma cópia da própria lua. Os homens não queriam ser subservientes à nenhum deus ou poder superior. Eles forçariam sua própria ordem ao Universo. Anos se passaram em cativeiro. Todos os dias ela orava pelo seu noivo e pelo seu panteão grego adotado, que tinham dito que tanto a amavam. Um dia, Hades veio até ela com uma simples mensagem: ele havia encontrado uma nova noiva, a filha da deusa da natureza, Deméter. Seu nome era Perséfone. Ele disse que os deuses do Olimpo haviam tomado uma decisão, Hecate não seria mais bem-vinda em seus portões, e dito isso, foi embora, e assim Hecate começou a gritar. Em seus gritos ela sentiu o que não havia sentido em uma eternidade: o espelho sombrio, invertido, do seu próprio e grandioso poder. Turvo, tóxico e perigoso, cheio de ódio.

Com todo seu poder e fúria ela atravessou o véu do Multiverso até sua duplicata sombria, e trouxe um pedaço dessa magia sombria para o mundo. Ela berrou para os feitiçeiros que daria a eles o que eles queriam, uma magia sombria que devastaria o mundo. Uma magia que corroeria e destruiria eles de dentro para fora, uma corrente contagiosa de poder que jamais seria contida. Ela deu à eles com nada além de ódio e malícia em seu coração. O aspecto da MÃE havia se perdido completamente, pois Hecate havia assumido uma nova forma. Agora, ela era a VELHA, o ódio justificado. Ela tinha libertado o poder no mundo dos homens, e faria com que os deuses conhecessem sua fúria também. Ela lhes lembrou de seu lugar de direito no Cosmos, da primazia de seu grande e terrível poder, se eles ousassem insultá-la novamente ela o voltaria contra eles e daria um fim aos seus reinados. Ela viu o medo nos olhos deles e soube que eles tinham entendido.

Mesmo assim, ela não confiou em ninguém além de si mesma, então dividiu seu poder em cinco pontos e o escondeu em cinco garotas em que ela viu uma lasca da donzela que ela foi. Ela aguardaria até a hora que homem ou deus viriam para derrubá-la de seu trono e então mostraria ao mundo uma hora das bruxas que eles jamais esqueceriam. Eles nunca vieram, e o medo se infeccionou dentro dela, ela retomou seus antigos aspectos para si, tornando-se a completa personificação da deusa tripla que era, mas a VELHA dominava. Os aspectos da DONZELA e da MÃE a impeliram de tempos em tempos à levar bençãos ao mundo, mas mesmo suas adoradoras, suas bruxas, se voltariam para a pútrida magia sombria que infectava o mundo."

Mentalidade

Personalidade: Sendo a deusa tripla, Hecate tem três personalidades diferentes. A primeira personalidade (a personalidade da Donzela) se manifestou logo no início e era uma personalidade doce e bondosa assim como uma deusa deveria ter, uma deusa que abençoou toda a Criação com a magia e toda a sua magnificência. A segunda personalidade de Hecate (a personalidade da Mãe) se apresentava como uma criatura descobrindo toda a majestade da Criação, aprendendo com tudo aquilo que a fascinava e compartilhando o que tinha, presenteando seus seguidores (ou "filhos") com tais bençãos. Após ser traída pelo seu amor, aprisionada e condenada à eternidade, seu surto de poder fez com que uma terceira personalidade tomasse o controle (a personalidade da Velha), uma personalidade amarga e cruel que quer submeter todos à sua própria vontade.

Inteligência: Consciência Cósmica.

Ficha de Combate

Dimensionalidade: N.A

Status Existencial: Abstrato (Surgiu como uma Luz, envolvendo todo Multiverso de possibilidades ainda em formação, ou seja, antes mesmo da formação cósmica. dando origem a toda Magia, e foi responsável pela criação da Esfera dos Deuses.)

Ataque: Infinito

Defesa: Infinita

Velocidade: Infinita

Força: Infinito

Vigor: Ilimitado

Alcance: Infinito

Fraquezas Físicas: Nenhuma.

Fraquezas Psicológicas: Nenhuma.

Variações: Forma Original, em toda potência.

Poderes e Habilidades

Magia, Manipulação do Tempo, Criação, Manipulação do Espaço, Autoridade, Auto Sustentação, Manipulação de Energia, Manipulação da Mente, Manipulação Material, Manipulação da Alma, Manipulação da Causalidade, Manipulação da Probabilidade, Possessão, Concessão de Poderes.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.