FANDOM


Resumo

O Demônio da Mão foi um demônio notório que matou treze aprendizes de Sakonji Urokodaki, incluindo Sabito e Makomo, além de pelo menos cinquenta outros candidatos a Caçadores de Demônios durante a seleção final, antes de finalmente ser morto por Tanjiro.

Mentalidade

Personalidade: O Demônio da Mão foi implacável em seu tratamento com humanos, matando-os imediatamente e até atacando aqueles que fugiram. Ele tinha um grande ódio por Sakonji Urokodaki, amaldiçoando-o por derrotá-lo e aprisionando-o no Fujikasaneyama, um campo rodeado por flores glicínias, prometendo matar todos os seus aprendizes. Este demônio também tinha um lado sádico, explicando alegremente a maneira que ele matou Sabito e Makomo para Tanjiro Kamado. Apesar disso, o Demônio da Mão tinha um profundo medo da morte, tendo muito medo de fechar os olhos depois que Tanjiro o decapitou.

Quando ele era humano, ele tinha o hábito de pedir ao seu irmão mais velho que segurasse sua mão, uma característica fez seu irmão o rotular de gato assustado. Em seus momentos finais, o Demônio da Mão estendeu a mão para Tanjiro para ele segurar, derramando lágrimas de gratidão quando seu pedido foi atendido.

Inteligência: Média

Ficha de Combate

Dimensionalidade: 3D

Status Existencial: Concreto

Ataque: Construção pequena (Capaz de se manter em combate contra Tanjiro Kamado. É um demônio gigante de vários metros que já matou mais de 50 caçadores de demônios na seleção final)

Defesa: Construção pequena (Aguentou golpes de Tanjiro. Seu pescoço é notado como especialmente duro, sendo capaz de quebrar mesmo lâminas nichirin)

Velocidade: Hipersônico (Seus ataques deram trabalho para Tanjiro)

Força: Sobre-Humana

Vigor: Ilimitado (Demônios não se cansam)

Alcance: Vários metros

Fraquezas Físicas: Luz solar o reduz a cinzas. Não pode se regenerar da decapitação de uma lâmina nichirin. Flores glicínias são venenosas para ele.

Fraquezas Psicológicas: Confiante e arrogante demais.

Poderes e Habilidades

Características Físicas Sobre-Humanas, Manipulação de Tamanho, Amplificação de Status (Demônios ficam mais fortes ao matarem e absorverem humanos), Imortalidade (Tipos 1, 2, & 11), Regeneração (Rank F), Manipulação Corporal, Elasticidade, Não sente dor, Não pode adoecer.

Técnicas Especiais

Fisiologia Demoníaca: Como um demônio, o Demônio da Mão pode tirar proveito de sua anatomia e habilidades demoníacas. Além de possuir uma força física e resistência sobre-humana, demônios não se cansam de lutar, não adoecem, não sentem dor e ficam constantemente mais fortes depedendo do número de humanos que eles mataram e absorveram.

  • Manipulação Corporal: O demônio da mão pode manipular seu corpo para estender seus múltiplos braços a vários metros de comprimento. Também sendo capaz de gerar braços novos em outros lugares para surpreender o alvo. Ele pode usar seus braços de maneira estratégica, sendo capaz de enterrá-los no subsolo e atacar o alvo por baixo deles.
  • Regeneração Aprimorada: Como o resto de seus parentes, o Demônio da Mão pode se regenerar indefinidamente se não for decapitado ou exposto à luz solar. Sua capacidade regenerativa, no entanto, parece estar razoavelmente acima da média, pois ele pode recuperar os braços decepados instantaneamente e continuar lutando.
  • Tolerância à Dor: O Demônio da Mão possui uma tolerância enorme a dor, como evidenciado pelo fato de que ele não se importou em ser perfurado por espadas ou pelos inúmeros membros que ele perdeu em combate. Ele até atacou seu próprio corpo em frustração e raiva a ponto de sangrar, mas a única coisa que ele podia sentir era raiva, não dor.
  • Imortalidade: Demônios devido as suas características físicas e regeneração aprimorada podem facilmente sobreviver golpes que seriam mortais a humanos, conseguindo facilmente regenerar membros cortados e se regenerarem mesmo após serem decapitados. As únicas maneiras de matar um demônio são a luz do sol, decapitação por lâminas nichirin e flores glicínias que são venenosas a eles.
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.